Escola Móvel

 

Para que as crianças e adolescentes não parem de estudar durante o tratamento, o GRAACC oferece acompanhamento pela Escola Móvel, que os mantém envolvidos nas atividades escolares do ensino fundamental até a universidade. O atendimento se adequa às condições e locais em que o paciente se encontra dentro do hospital, assim ele não perde o ano letivo.

A iniciativa é reconhecida pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) e segue a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A equipe mantém contato com a escola de origem dos pacientes e com seus pais informando sobre a necessidade e importância dos estudos durante o tratamento. O aluno recebe aulas particulares mesmo quando está em tratamento, seguindo o cronograma da escola onde está regularmente matriculado.

.

.

A Escola Móvel inspirou política pública, com a lei municipal nº2865, de 16 de outubro de 2012, de Santos, litoral de São Paulo. A cidade passou a garantir às crianças e adolescentes o direito de manter os estudos durante o período de internação hospitalar, atendimento ambulatorial ou permanência prolongada em domicílio. 

.