Linfoma Não Hodgkin - Estadiamento

O Sistema Internacional de Estadiamento Revisado para LNH Pediátrico (SIERLNHP) é o critério atual para estadiar os linfomas das crianças e adolescentes e, entre outras coisas, leva em consideração a extensão da doença e a presença ou não de disseminação desta para a medula óssea e/ou liquor. O estadiamento vai de I a IV e é importante porque o tratamento torna-se mais intensivo quanto maior for o estádio.

 

Tratamento

Por ser de natureza sistêmica, ou seja, que atinge diversas partes do corpo, a cirurgia ou radioterapia são ineficazes, mesmo quando a doença é localizada. Nos últimos anos, o tratamento quimioterápico com o uso de altas doses tem mostrado ser a modalidade terapêutica mais eficaz para o LNH.

A indicação de cirurgia pode ocorrer quando acontece complicações do tratamento quimioterápico, como: quadro de oclusão ou suboclusão intestinal prévia ou posteriormente à quimioterapia com consequente perfuração intestinal no caso de linfomas abdominais.

 

Prognóstico

A chance de sobrevida de uma criança com LNH, atualmente, ultrapassou 80%.

No Hospital do GRAACC, um estudo com 204 crianças e adolescentes com LNH, observou-se que a sobrevida livre de doença em 10 anos alcançou 81%. Essa fantástica evolução da chance de cura deve ser atribuída, principalmente, à utilização de combinações de quimioterápicos em altas doses, à melhoria do tratamento de suporte, à abordagem multidisciplinar desse paciente e ao modo mais acurado dos meios diagnósticos.

Médico responsável pelo tratamento de linfomas no Hospital do GRAACC: Dr. Flávio Augusto Vercillo Luisi – CRM 46240