– Adotar uma dieta saudável com o consumo regular de frutas, verduras, legumes e oleaginosas pode auxiliar na redução do risco de infecções; 

– Alimento que será consumido cru deve ser lavado e deixado em solução de hipoclorito de sódio por, aproximadamente, 10 a 20 minutos. Depois, enxaguá-los com água para o consumo; 

– Preparar pratos coloridos é uma boa indicação para que não faltem os principais nutrientes. Alimentos vermelhos como tomate e morango são ricos em licopeno; os brancos como leite e derivados, têm boa concentração de cálcio; amarelos e laranjas como mamão, laranja e cenoura possuem vitamina C e betacaroteno.

A pandemia de Covid-19 colocou a população mundial em alerta e despertou nas pessoas a importância de cuidar da saúde da família e manter o sistema imunológico em alta. Essa máxima tem ainda mais relevância para indivíduos de grupos de risco delimitados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como, por exemplo, idosos, doentes crônicos e imunossuprimidos.

A boa imunidade não consegue barrar o contágio, porém é percebida como uma grande aliada para os dias atuais e algumas atitudes e mudanças de hábitos alimentares podem auxiliar na manutenção e recuperação do sistema imunológico.

“O consumo diário equilibrado de porções de frutas, legumes e verduras nas refeições auxilia na melhora na imunidade e, consequente, na prevenção de doenças. As vitaminas como a C e as do complexo B, além de minerais como zinco, selênio e cobre, contribuem significativamente com o bom funcionamento do sistema imune”, orienta a Dra. Marise Yago Rodrigues Sahade Moretti, responsável pelo serviço de Nutrologia do Hospital do GRAACC, referência no tratamento de casos de alta complexidade de câncer infantojuvenil.

Cuidados com a Higienização dos alimentos

Tudo começa com a higienização das mãos, fundamental para iniciar qualquer processo de manipulação de alimentos seja na limpeza ou no preparo. Com legumes, verduras e frutas, consumidas cruas, o ideal é lavá-las e deixá-las em solução de hipoclorito de sódio por, aproximadamente, 10 a 20 minutos. Depois, enxaguá-los com água para o consumo. Alimentos que serão cozidos ou consumidos sem casca devem ser apenas lavados, se possível, com água e sabão.

“É importante utilizar álcool 70% em todas as embalagens de produtos que chegam das compras, para limpar bem as superfícies antes de guardar em armários ou mesmo utilizá-las. É um cuidado básico que deve ser feito principalmente em locais com pessoas de grupos de risco”, destaca a nutróloga.

Vá pelas cores 

Preparar pratos coloridos é uma boa indicação para que não falte nenhum nutriente ou, pelo menos, que a maioria deles esteja presente na refeição. Quanto mais colorido o prato, maior será a oferta de nutrientes. “As cores indicam propriedades dos alimentos como, por exemplo: alimentos vermelhos como tomate e morango são ricos em licopeno; os brancos como leite e derivados e banana, têm boa concentração de cálcio e potássio, respectivamente; amarelos e laranjas como mamão, laranja e cenoura possuem vitamina C e betacaroteno, entre outras cores, além dos grãos, sementes e oleaginosas com antioxidantes, fibras e diversas vitaminas e minerais”, explica Dra. Marise.

Rotina atribulada 

            Manter uma dieta equilibrada com as rotinas diárias cada vez mais atribuladas e dificultadas, por conta da pandemia, não é tarefa fácil. Com a correria e a necessidade das pessoas em encontrar mais tempo para realizar todas as atividades do dia, o consumo desregrado de petiscos, fast food e outros alimentos ultraprocessados ricos em gordura, sódio e açúcar ganham cada vez mais espaço, o que não é nada recomendado, principalmente para as crianças.

            “Uma boa dica é preparar grandes quantidades de refeições no fim de semana, por exemplo, e congelar em porções para serem consumidas ao longo dos dias. A refeição está pronta, é só aquecer. Outro caminho, principalmente no lanchinho das crianças, é oferecer alimentos saudáveis como queijo branco e frutas mesclando essas opções entre biscoitos, bolinhos e petiscos”, aconselha Dra. Marise.

            A nutróloga do GRAACC também orienta pais e responsáveis de crianças que não comem bem e rejeitam legumes e verduras. “Cozinhe as hortaliças junto com outras preparações que são bem aceitas e procure oferecer diariamente pequenas porções de verduras ou legumes para a criança ir acostumando com essa rotina. Mas lembre-se: alimentação saudável é benefício para todos e ser exemplo para as crianças é fundamental para a criação de bons hábitos alimentares”, diz.

Direto na fonte 

Fontes dos principais nutrientes que contribuem com o fortalecimento da imunidade.

Cobre – sementes e oleaginosas

Selênio – castanha do Pará, gema de ovo, semente de girassol e trigo

Vitamina A – cenoura e hortaliças como couve, espinafre e rúcula

Vitamina C – frutas cítricas como laranja, limão, acerola, caju

Vitamina D – fígado, peixes, gema de ovo, além da exposição ao sol

Zinco – carne bovina, feijão, grão de bico, peixes, aves


Compartilhe:

Webinar Tumores Ósseos

Inscreva-se e participe

HOSPITAL DO GRAACC ULTRAPASSA A MARCA DE 800 TRANSPLANTES DE MEDULA ÓSSEA REALIZADOS

Um marco em nossa história! Em março, o Hospital do GRAACC ultrapassou a marca de...

Diagnóstico Precoce

E se for câncer infantil? Orientações sobre os principais sintomas do câncer infantil.