– Adotar uma alimentação saudável com o consumo regular de frutas, verduras, legumes e oleaginosas pode auxiliar na redução do risco de infecções; 

– Alimento que será consumido cru deve ser lavado e deixado em solução de hipoclorito de sódio por, aproximadamente, 10 a 20 minutos. Depois, enxaguá-los com água para o consumo; 

– Preparar pratos coloridos é uma boa indicação para que não faltem os principais nutrientes. Alimentos vermelhos como tomate e morango são ricos em licopeno; os brancos como leite e derivados, têm boa concentração de cálcio; amarelos e laranjas como mamão, laranja e cenoura possuem vitamina C e betacaroteno.

A pandemia de Covid-19 colocou a população mundial em alerta e despertou nas pessoas a importância de cuidar da saúde da família e manter o sistema imunológico em alta. Essa máxima tem ainda mais relevância para indivíduos de grupos de risco delimitados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como, por exemplo, idosos, doentes crônicos e imunossuprimidos.

A boa imunidade não consegue barrar o contágio, porém é percebida como uma grande aliada para os dias atuais e algumas atitudes e mudanças de hábitos alimentares podem auxiliar na manutenção e recuperação do sistema imunológico.

“O consumo diário equilibrado de porções de frutas, legumes e verduras nas refeições auxilia na melhora na imunidade e, consequente, na prevenção de doenças. As vitaminas como a C e as do complexo B, além de minerais como zinco, selênio e cobre, contribuem significativamente com o bom funcionamento do sistema imune”, orienta a Dra. Marise Yago Rodrigues Sahade Moretti, responsável pelo serviço de Nutrologia do Hospital do GRAACC, referência no tratamento de casos de alta complexidade de câncer infantojuvenil.

Cuidados com a Higienização dos alimentos

Tudo começa com a higienização das mãos, fundamental para iniciar qualquer processo de manipulação de alimentos seja na limpeza ou no preparo. Com legumes, verduras e frutas, consumidas cruas, o ideal é lavá-las e deixá-las em solução de hipoclorito de sódio por, aproximadamente, 10 a 20 minutos. Depois, enxaguá-los com água para o consumo. Alimentos que serão cozidos ou consumidos sem casca devem ser apenas lavados, se possível, com água e sabão.

“É importante utilizar álcool 70% em todas as embalagens de produtos que chegam das compras, para limpar bem as superfícies antes de guardar em armários ou mesmo utilizá-las. É um cuidado básico que deve ser feito principalmente em locais com pessoas de grupos de risco”, destaca a nutróloga.

Vá pelas cores 

Preparar pratos coloridos é uma boa indicação para que não falte nenhum nutriente ou, pelo menos, que a maioria deles esteja presente na refeição. Quanto mais colorido o prato, maior será a oferta de nutrientes. “As cores indicam propriedades dos alimentos como, por exemplo: alimentos vermelhos como tomate e morango são ricos em licopeno; os brancos como leite e derivados e banana, têm boa concentração de cálcio e potássio, respectivamente; amarelos e laranjas como mamão, laranja e cenoura possuem vitamina C e betacaroteno, entre outras cores, além dos grãos, sementes e oleaginosas com antioxidantes, fibras e diversas vitaminas e minerais”, explica Dra. Marise.

Rotina atribulada 

            Manter uma dieta equilibrada com as rotinas diárias cada vez mais atribuladas e dificultadas, por conta da pandemia, não é tarefa fácil. Com a correria e a necessidade das pessoas em encontrar mais tempo para realizar todas as atividades do dia, o consumo desregrado de petiscos, fast food e outros alimentos ultraprocessados ricos em gordura, sódio e açúcar ganham cada vez mais espaço, o que não é nada recomendado, principalmente para as crianças.

            “Uma boa dica é preparar grandes quantidades de refeições no fim de semana, por exemplo, e congelar em porções para serem consumidas ao longo dos dias. A refeição está pronta, é só aquecer. Outro caminho, principalmente no lanchinho das crianças, é oferecer alimentos saudáveis como queijo branco e frutas mesclando essas opções entre biscoitos, bolinhos e petiscos”, aconselha Dra. Marise.

            A nutróloga do GRAACC também orienta pais e responsáveis de crianças que não comem bem e rejeitam legumes e verduras. “Cozinhe as hortaliças junto com outras preparações que são bem aceitas e procure oferecer diariamente pequenas porções de verduras ou legumes para a criança ir acostumando com essa rotina. Mas lembre-se: alimentação saudável é benefício para todos e ser exemplo para as crianças é fundamental para a criação de bons hábitos alimentares”, diz.

Direto na fonte 

Fontes dos principais nutrientes que contribuem com o fortalecimento da imunidade.

Cobre – sementes e oleaginosas

Selênio – castanha do Pará, gema de ovo, semente de girassol e trigo

Vitamina A – cenoura e hortaliças como couve, espinafre e rúcula

Vitamina C – frutas cítricas como laranja, limão, acerola, caju

Vitamina D – fígado, peixes, gema de ovo, além da exposição ao sol

Zinco – carne bovina, feijão, grão de bico, peixes, aves


Compartilhe:

Parceiros do GRAACC: Abril | 2024

Todos os anos, o nosso Hospital atende, graças aos nossos parceiros, milhares de crianças e adolescentes...

II Congresso Internacional de Oncologia Pediátrica do GRAACC

O II Congresso Internacional de Oncologia Pediátrica GRAACC, agendado para 05 a 07 de setembro...

Caixa Econômica Federal: nova data para sorteio

Saiba o motivo da alteração de data do sorteio Sorte Acelerada.

Nossa paciente do GRAACC celebra cura

Em 2011, chegar aqui, no GRAACC, foi sinônimo de esperança de cura para Bianca. Após...

Escola Móvel ajuda nossa paciente em universidade

Conheça a história de nossa paciente, Tássia, que ingressou na Universidade após concluir os estudos...