·      O melanoma representa de 1% a 3% de todos os casos de câncer infantil e a sua principal causa na infância é o fator genético.

·      Oncologista pediátrica ressalta a importância de criar o hábito de prevenção e conscientização sobre proteção solar desde a infância.

·      Pais e responsáveis devem ficar sempre atentos ao surgimento de sinas na pele da criança, como manchas ou nevos (pintas) que crescem de tamanho, com bordas irregulares e que tenham sintomas como coceira, dor e sangramento.

 

Dezembro foi o mês escolhido para a conscientização de um dos tipos de câncer mais comuns e o de maior incidência: o de pele, causado principalmente pela exposição solar excessiva sem a utilização de qualquer proteção. Mas, embora apareça a partir da fase adulta, existem casos desse tipo de câncer em crianças e adolescentes.

“O câncer de pele em crianças representa de 1% a 3% de todos os casos de câncer infantil. O fator genético é sua principal causa e podemos citar, por exemplo, histórico familiar de melanoma, doenças como o Xeroderma Pigmentoso, nevo congênito gigante e nevos displásicos”, explica a Dra. Eliana Caran, oncologista pediátrica do Hospital do GRAACC.

O Dezembro Laranja é focado em prevenção e conscientização do câncer de pele e seu propósito é voltado para todas as faixas etárias, principalmente as crianças que devem contar com o suporte de pais e responsáveis para evitar que a doença não se manifeste no futuro.

 

Prevenção começa na infância

“O efeito dos raios ultravioletas do sol na pele é cumulativo e pode, futuramente, facilitar o desenvolvimento de câncer de pele no indivíduo. Por isso, é muito importante que a prevenção e conscientização comece na criança, para que crie o hábito de se proteger do sol e leve adiante esses cuidados para as gerações futuras”, orienta Dra. Eliana.

O câncer de pele lidera o ranking de incidência na fase adulta. Do total anual de diagnósticos de câncer, corresponde a 33%, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). São, aproximadamente, 185 mil novos casos todos os anos, sendo cerca de 8 mil do tipo mais agressivo, o melanoma.

 

Chances de cura

diagnóstico precoce do câncer infantil possibilita que mais de 70% dos casos sejam curados. “É importante os pais ficarem sempre atentos e verificarem constantemente a pele da criança. O melanoma pode aparecer em qualquer local do corpo como couro cabeludo, planta dos pés, unha, tronco etc. Qualquer mancha que comece a crescer, seja irregular, assimétrica, com variação de cor, cause prurido, sangramento ou dor deve ser avaliada pelo médico o quanto antes”, orienta Dra. Eliana.

 

Prevenção

A prevenção é sempre a melhor maneira de diminuir as possibilidades de se ter um evento futuro de câncer de pele. Por isso, é importante:

1 –  Utilizar filtro solar diariamente, mesmo em dias nublados, com preferência para produtos com fator de proteção solar 30 e que proteja contra radiação UVA e UVB. Reaplicar o produto sempre eu necessário.

2 –  Para atividades realizadas ao ar livre, reaplicar a cada duas horas.

3 –  Evitar exposição ao sol entre 10h e 16h.

4 –  Em locais abertos, como praia e piscina, tenha sempre o abrigo de um guarda-sol, de preferência feito de algodão ou lona, que podem barrar cerca de 50% da radiação ultravioleta.

5 –  Utilizar também bonés, chapéus, óculos escuros e camisetas com proteção UV.

6 –  Crianças e bebês devem ficar sempre protegidos do sol. A partir dos 6 meses já podem usar filtro solar.

7 –  Observar regularmente a pele e procurar um dermatologista quando perceber algo anormal.


Compartilhe:

Doação Premiada ajuda crianças com câncer

Veja o regulamento da Doação Premiada GRAACC

Uma história de superação

Conheça a história do Miguel e sua família, que vieram de muito longe para vencer...

Medidas para lidar com os impactos da COVID 19

Seguem algumas medidas estabelecidas pelo Hospital do GRAACC para lidarmos com os impactos da COVID...