Considerado o quinto tipo com maior incidência no Brasil, o câncer de cabeça e pescoço é mais comum em adultos. Mas também pode comprometer crianças e adolescentes. O nosso Hospital, referência no tratamento de crianças e adolescentes com câncer de todo o Brasil, destaca que um dos principais problemas para o tratamento é o diagnóstico tardio.

“Nós recebemos crianças e adolescentes com tumores muito extensos, comprometendo muitas vezes a respiração. Se identificados e tratados precocemente a chance de cura são muito boas, por exemplo o rabdomiossarcoma orbital, as chances de cura são de 90% se o diagnóstico é precoce”, diz a Dra. Eliana Maria Monteiro Caran, oncologista pediátrica do nosso Hospital.

Em crianças, geralmente, esse tipo de câncer é causado por eventos genéticos. “Muitas vezes a criança nasce com uma alteração genética que predispõe ao tumor. Já em adolescentes existe a infecção crônica por certos vírus, incluindo o HIV, o vírus de Epstein Barr e o HPV. Em adultos existem alguns fatores de risco, como, por exemplo, exposição à radiação, exposição ao tabaco e o consumo de álcool”, explica a médica.

O diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura. Por isso, é preciso ficar atento a alguns sintomas. “O quadro clínico depende da localização do tumor, mas pode se manifestar com o aumento de linfonodos no pescoço, obstrução nasal, como uma sinusite que não melhora e a criança começa a dormir com dificuldade, começa a roncar a noite. Muitas vezes sai secreção sanguinolenta do ouvido, ou até mesmo casos de estrabismo”, revela Dra. Eliana.

Em ordem de incidência na cabeça e pescoço de crianças e adolescentes, a neuro-oncologista pediátrica do nosso Hospital afirma que o mais comum são os linfomas. Principalmente o linfoma de Hodgkin, que se manifesta pelo aumento dos linfonodos e pescoço. “Mas também temos os sarcomas, o carcinoma de rinofaringe, o carcinoma de tireoide e depois os tumores de glândulas salivares.

Esses pacientes exigem um tratamento mais complexo, porque além da questão do tumor existem também algumas questões estéticas e funcionais, como a alimentação e respiração, tudo isso pode estar comprometido”, explica a médica.

Para tratar a especialidade de forma integral, o nosso Hospital conta com uma equipe multiprofissional envolvendo radioterapia, diagnóstico por imagem, fonoaudiologia e psicologia.


Compartilhe:

Parceiros do GRAACC: Abril | 2024

Todos os anos, o nosso Hospital atende, graças aos nossos parceiros, milhares de crianças e adolescentes...

II Congresso Internacional de Oncologia Pediátrica do GRAACC

O II Congresso Internacional de Oncologia Pediátrica GRAACC, agendado para 05 a 07 de setembro...

Walter Antônio: prosa e poesia

Walter Antônio carrega consigo um coração generoso e uma mente repleta de palavras a serem...

1º Congresso Internacional do GRAACC

Nosso Hospital vai compartilhar experiências e conhecimentos adquiridos em 30 anos de existência. Participe!

Apesar de tudo, recordações inesquecíveis

Danilo foi diagnosticado com 11 anos e, com determinação e o suporte de sua família,...